Está é a Mel. Resgatada de um atropelamento numa noite chuvosa, teve a sorte de ser socorrida por uma profa da vet da ufmg. Foi cuidada, passou por uma cirurgia, perdeu uma das perninhas mas não a alegria. Foi castrada, testada e vacinada e veio pra lt na bastadotar. Aí no domingo no campus foi adotada por essa família de uma aluna da vet.
O que mostra que o que o coração vê não é o que falta, mas o que o ser é. Foi assim com a mel.

Esta é a Canela. Ela foi vista pela presidente da ong, correndo enlouquecida pelas ruas próximas ao nosso antigo abrigo, na concórdia, toda ensaguentada. Com ajuda da funcionária e de um voluntário, Canela foi capturada e levada para uma clínica. Havia sido esfaqueada e também estava com um tumor. Foi cuidada, passou por cirurgia para retirada do tumor e castrada. Chegou ao abrigo com muito medo de tudo e de todos, principalmente de homens. Não podia ouvir uma voz masculina que rosnava, queria atacar e fugir. Com tempo e paciência, foi diminuindo o medo, mas nunca aceitou estranhos com facilidade. Depois de quase dois anos no abrigo, Canela foi adotada e tornou-se outra cadela. Essas imagens mostram toda felicidade e alegria que uma família amorosa lhe proporcionou. São histórias como as de Canela que nos dão animo para seguir adiante.