CARTA BALANÇO 2022.

Belo Horizonte, 31 de dezembro de 2022.                                                                          Amigos e Colaboradores,

Hoje é o último dia do ano de 2022, um dos mais paradoxais que a BastAdotar viveu ao longo de seus quase 11 anos de existência formal. Ano de extremos: muitos motivos para comemorar, muitos e graves problemas a enfrentar. Entre as conquistas apontamos:

  • um número recorde de 132 adoções, sendo 104 gatos e 28 cães; pelo Adote Petz. As demais, em eventos de adoção e pelo instagram;

  • Renovação do projeto Embaixadores do Bem – Pra fazer a diferença, Bastadotar! da CAF America que nos doou um valor significativo aplicado em saúde, ração e melhoria do ambiente;

  • Apoio da Petz-Editora Mol ao longo do ano em várias campanhas como Campanha de Inverno, Aniversário Adote Petz, 20 Anos da Petz, Castração de colônia de gatos, entre outros, também com uma contribuição relevante para a nossa sobrevivência;

  • Certificação pela CAF America com concessão de selo de excelência como organização social.

Ao mesmo tempo, grandes foram os problemas enfrentados com impactos negativos na combalida saúde financeira da BastAdotar:

  • Necessidade de mudança de imóvel onde funcionava o abrigo, com grande dispêndio financeiro com as reformas para retornar a casa ao estado original. A obra se estendeu no tempo, aumentando os gastos em muito, pois nos obrigou a pagar mais 3 meses de aluguel. Nesse período, tivemos que arcar com o aluguel de dois imóveis, o novo abrigo e o antigo. Ao todo, entre as reformas nas duas casas, a mudança, o custo da telagem do novo espaço, a dificuldade em compatibilizar as agendas dos profissionais que iriam fazer o serviço e as urgências, elevaram o custo total a 30 mil reais, dos quais ainda estamos devendo 4.500,00.

  • A despeito do esforço em montar um consultório para atender os animais da ong e baratear o custo com saúde, não conseguimos que funcionasse como necessário pela não disponibilidade de profissionais veterinários e auxiliares que garantissem o atendimento voluntário regular e internações para procedimentos mais simples. Resultado: o custo com saúde/internação está acima de qualquer possibilidade: gasto médio entre medicamentos, exames, limpeza, higiene, internação e procedimentos: 8mil reais, em média. Impossível para uma ong suportar uma despesa dessa ordem de grandeza. Em dezembro, a situação explodiu com surto de rinotraqueíte/complexo respiratório, giárdia e um número elevado de gatos com esporotricose, que demandam isolamento total. Além disso, os cães também adoeceram e mais gastos com exames, medicações e ração se fizeram necessários. Ainda temos a pagar de clínicas, fruto das internações ao longo do ano, mas principalmente neste final do segundo semestre: 5 mil na Animal Center, hum mil no Centro cirúrgico cachoeirinha e 2 mil na Cães e Amigos.

  • O número de animais aumentou demasiadamente com gatas prenhas capturadas para castração da colônia, que não puderam ser castradas, abandonos e devoluções de animais doados, muitas vezes doentes. Com isso, houve uma explosão de filhotes, o surto de rino, o tempo chuvoso e úmido sem trégua, bronquite e pneumonia nos cães, enfim, um verdadeiro inferno astral.

  • O preço das rações, bem como de todos os produtos utilizados, aumentou muito, sendo ração e material de limpeza os campeões de aumento.

  • Para piorar, perda de arrecadação com doações regulares e queda de voluntariado ativo, diminuindo nossa capacidade de atendimento e atenção aos animais abrigados.

  • Finalmente, duas pessoas que sempre contribuíram mensalmente com quantias significativas ficaram impossibilitadas de manterem suas contribuições, ainda sem previsão de retomada, e os gastos fixos saltaram da faixa de 15 mil para 22 mil reais, em média.

Tudo isso desenha um quadro muito pesado e coloca em risco a continuidade da existência da Bastadotar e de seu trabalho tão importante para animais abandonados e maltratados. Ao mesmo tempo, não é possível pensar em fechar as portas com cerca de 130 animais abrigados, mas também não é possível receber nem mais uma pulga. Mas ainda assim abandonos acontecem, devoluções de animais adotados às vezes 6 meses também, pasmem, ocorrem. O que fazer nessas situações?

Esse é o dilema cotidiano e a causa de adoecimento dos protetores e não diferentemente dos membros e participantes da BastAdotar.

Por todo o exposto, é que renovamos nosso sempre dramático pedido de ajuda. Precisamos de vocês, sem a sua contribuição não temos como continuar um trabalho que é reconhecidamente sério em prol de tantos animais. Fidelizem sua contribuição através da plataforma Risu (bastadotar.apoar.co) ou programe uma doação via pix mensal pelo seu banco (chave pix cnpj 18.726.647/0001-60), como uma espécie de “mesada”, ou pelo pic pay (@mailce.mendes) se preferir, mas nos ajude.

2023 está começando e traz em si a possibilidade de esperança para recomeçar e para que possamos construir um país e um sociedade mais generosa, com mais amor e empatia pelo outro, respeitando a diversidade existente em nós, nos animais e na natureza como um todo.

Que esse recomeço possa nos energizar para enfrentar com serenidade os desafios que nos aguardam.

Feliz 2023!

Diretoria

BH ganha o “Parcão”

eusoubh                                     

Verificado
Nesta terça-feira (6/12) Belo Horizonte inaugura o primeiro espaço público exclusivo para cães – carinhosamente apelidado de Parcão. A ideia é que os animais possam desfrutar de uma área exclusiva para eles no parque Orlando de Carvalho, no bairro Silveira, região Nordeste da capital mineira, livres de guias e com atrativos direcionados para os pets brincarem e se exercitarem.
Foram instalados equipamentos tubulares para brincadeiras e interação dos cães, além de bancos, mesas de jogos, lixeiras e bebedouros para os cães, permitindo a aproximação com seus tutores. Toda a área é cercada, garantindo que os animais possam circular de forma segura e, especificamente nesse espaço, sem coleiras ou guias.